Dpvat: imposto mais barato em 2019

O ano começou com uma boa notícia: os motoristas pagarão mais barato o seguro obrigatório em 2019. O Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP), aprovou a redução média de 63,3% no valor do Seguro Obrigatório de Danos Pessoais Causados por Veículos (DPVAT).

As reduções não serão iguais para todos os veículos. O valor será de acordo com o tipo de veículo. Automóveis particulares, táxis e carros de aluguel, veículos ciclomotores e máquinas de terraplanagem, tratores, caminhões, pick-ups, reboques e semirreboques terão o DPVAT reduzido em 71%. No caso dos automóveis particulares, a tarifa cairá de R$ 41,40 para R$ 12.

Os ônibus, micro-ônibus e lotações terão o seguro reduzido em 79%. Já o seguro para as motocicletas e motonetas, que concentram a maior parte dos acidentes de trânsito que demandam o acionamento do DPVAT, cairá menos e ficará 56% mais barato.

Ministério da Fazenda explica redução do DPVAT

O Ministério da Fazenda informou, através de nota, que anualmente no Brasil é pago um total de R$ 2 bilhões de indenizações  pelo Seguro DPVAT. A pasta também informou que a redução dos prêmios tarifários foi possível porque o montante de recursos acumulados atualmente é superior às necessidades do DPVAT. E atribuiu a sobra de recursos ao combate à fraude, que levou a uma redução significativa dos sinistros. Além da rentabilidade das reservas do fundo que compõe o seguro.

Você sabe o que é DPVAT?

O seguro DPVAT (Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de Via Terrestre), cobre casos de morte, invalidez permanente ou despesas com assistências médica e suplementares (DAMS) por lesões de menor gravidade causadas por acidentes de trânsito em todo o país.

O recolhimento do seguro é anual e obrigatório para todos os proprietários de veículos. A data de vencimento é junto com a do IPVA, e o pagamento deve ser feito para o motorista obter o licenciamento anual do veículo.

Para onde vai o dinheiro arrecadado pelo DPVAT ? 

  • 45% são destinados para para o Sistema Único de Saúde (SUS);
  • 5% vão para o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran);
  • 50% vão para o pagamento de sinistros e despesas administrativas.

Vítimas ou herdeiros (no caso de morte) têm um prazo de 3 anos após o acidente para dar entrada no seguro. Para informações sobre como receber a indenização podem ser obtidas pelo telefone 0800-022-1204.

Fonte: Globo.com e Revista Exame

 

Share This Post: