Enchente: o que fazer se o seu carro for atingido

A falta de infraestrutura adequada das cidades faz com que durante as chuvas fortes, os sistemas de escoamento de água não deem conta do enorme volume pluvial. Então, geralmente os resultados são enchente e transtornos.

Nesta época do ano, notícias sobre carros engolidos por enchentes são frequentes no noticiário. Mas o que fazer quando se é surpreendido por uma enchente e não há como escapar? Segundo os especialistas, a boa notícia é que todo veículo tem como ser recuperado – mesmo os que foram invadidos por lama. O problema é saber quando vale a pena arcar com o serviço.

Os casos mais simples são aqueles em que a água da enchente entrou e só encharcou o assoalho, entrando pela porta, por exemplo. Na outra ponta, os mais complexos são os que foram atingidos com o motor em funcionamento, quando o motorista tentava atravessar um alagamento.

Nesse caso, é possível que o motorista tenha cometido um dos erros mais comuns, mas que é fatal, que é entrar rápido na água. Nessa hora o motor pode aspirar a água, provocando o calço hidráulico. Ele ocorre quando a água entra nos cilindros e impede o curso total dos pistões, aumentando o esforço sobre os demais componentes e deformando-os.

Quanto mais componentes eletrônicos ao alcance da água, mais dor de cabeça o dono terá.

Se seu carro foi atingido por uma enchente, a primeira pergunta a fazer é: até que ponto a água alcançou? Se foi só até o assoalho e o carro não é um modelo com muitos componentes eletrônicos (não tem câmbio automático ou acelerador by wire, sem cabo, por exemplo), o reparo é simples. No entanto, se ele tem câmbio automático ou muita eletrônica embarcada, prepare o bolso e faça as contas para saber que realmente vale a pena.

Como chegar do outro lado da enchente: 

Se você foi surpreendido por um alagamento, recomenda-se fazer meia volta e fugir. Enfrentar o alagamento é perigoso e pode colocar a vida do motorista em risco. Mas, na prática, nem sempre é possível. Veja o que fazer nesses casos:

  • O limite para atravessar um alagamento é quando a água está no máximo até metade da roda.
  • Durante a travessia, mantenha a primeira marcha e o motor sempre cheio. Dose o pé esquerdo na embreagem, para que o carro não peça segunda marcha. Tente manter a rotação em uma faixa fixa.
  • Nunca entre correndo na água. Isso pode formar uma onda sobre a frente do veículo, que pode invadir a entrada de ar do motor e causar calço hidráulico.
  • Caso não conheça a via, não atravesse, pois ela pode conter buracos e outros obstáculos encobertos pela água.
  • Se a água subir muito rapidamente, procure um local mais alto, desligue o carro e vá embora.
  • Nunca tente dar a partida se o carro morrer dentro d’água, pois o motor pode aspirar água e ser danificado.

E lembre-se: evite tentar atravessar o alagamento. O melhor é procurar um local seguro (ladeiras, por exemplo) para aguardar o nível da água descer.

Share This Post:

Nathália Emerick